jump to navigation

OS X é UNIX, Linux não é – entenda o que isto significa, e a razão dezembro 25, 2007

Posted by marceloramalho in Linux Info, Linux News, Linux Novidades.
trackback

br-linux.org –

Os vizinhos do Meio Bit publicaram um artigo intitulado “Mac OSX é mais Unix do que o Linux“, que comenta e opina sobre os aspectos mencionados em nossa notícia de agosto, “Unix: Mac OS X Leopard recebe certificado UNIX 03 do Open Group“.

O texto inicia comentando sobre uma migração do exército dos EUA, de Windows para Mac OS X. Creio que o Exército dos EUA fez bem em substituir o Windows pelo OS X neste caso específico mencionado no artigo, e em todos os outros em que o tenha feito. A mesma instituição também é uma grande usuária de Linux e de outros softwares livres, e acredito que também esteja feliz com estas escolhas.

Mas creio que o assunto do título merece consideração, e até mesmo algum detalhamento adicional – em primeiro lugar, reafirmando: Mac OS X (ao menos em plataforma Intel), HP-UX, Solaris e AIX são mesmo sistemas operacionais que podem (de fato e de direito) ostentar a marca UNIX. O Linux e os diversos BSDs livres não podem. Dito isto, vamos entender o que isto significa.

O que constitui um UNIX, hoje?

A definição do que constitui um UNIX hoje compete ao Open Group, na forma da Single UNIX Specification, que é composta pelo XPG/4 (da X/Open), pelo POSIX (do IEEE) e pelo ISO C.

Esta Single Unix Specification (especialmente seus marcos UNIX 03 e UNIX 98, que indicam atendimento total ou parcial das especificações correntes, respectivamente) é o que permite a um determinado sistema operacional poder ser chamado de UNIX, ao menos no que diz respeito ao uso da marca registrada UNIX.

O Mac OS X Leopard alcançou a certificação UNIX 03 na plataforma Intel em agosto, conquistando assim o direito de ser chamado, de fato e de direito, de UNIX. Isso não é café pequeno, especialmente para um sistema que tem uma série de componentes essenciais herdeiros diretos dos BSDs de código aberto.

Ao alcançar esta certificação, a Apple juntou-se à HP, IBM e Sun, anteriormente as únicas a possuir sistemas operacionais UNIX qualificados pelas especificações correntes (UNIX 03 e UNIX 98). Existem, entretanto, vários outros sistemas operacionais que se qualificam ou mesmo certificam em algum dos componentes da Single Unix Specification, como o POSIX.

O mesmo Open Group disponibiliza o conteúdo de seus padrões de forma ampla na web, permitindo o reuso deles em projetos de código aberto, incluindo a certificação LSB (do Linux), entre várias outras iniciativas. O que não equivale a dizer que LSB é sinônimo de Single UNIX Specification.

E o Linux?

Quanto aos sistemas operacionais baseados no Linux, trata-se de sistemas UNIX-Like – em sua origem, o Linux é um clone do UNIX. Não é impossível que algum dia vejamos alguma distribuição ser certificada como aderente à Single UNIX Specification em alguma plataforma (como ocorreu com o OS X), mas de modo geral elas buscam se certificar pela LSB, que é a especificação para a qual os ISVs também devem se guiar ao desenvolver soluções para estas plataformas.

Claro que para esta certificação UNIX ocorrer, será necessário que alguém esteja disposto a desembolsar o valor das taxas (entre US$ 45.000 e meio milhão de dólares, dependendo basicamente do número de unidades distribuídas), assinar os termos de compromisso necessários, e especialmente garantir que todos os requisitos técnicos da licença sejam preenchidos – sendo que provavelmente esta última parte é a mais fácil, para a maioria das distribuições, pois é puramente técnica, e ao menos a maioria dos requisitos já é sabidamente preenchida hoje.

Um artigo de 2004 explica os detalhes, e no final apresenta qual seria o interesse de uma grande corporação (por exemplo, IBM ou Novell) em buscar uma certificação UNIX para algum de seus produtos enterprise. Pela minha própria análise, os motivos apontados então (que já me parecem insuficientes) vêm se reduzindo nos últimos anos, já que a fatia deste mercado específico sendo ocupada pelos sistemas operacionais enterprise baseados no Linux vem crescendo sem precisar deste investimento considerável.

Ainda assim, seria interessante poder um dia dizer que um sistema operacional baseado no Linux é, de fato e de direito, UNIX. Seria especialmente divertido poder afirmar que o GNU (que significa Gnu is Not Unix) é UNIX também. Mas por enquanto, o que podemos afirmar é que o AIX, HP/UX, Solaris e Mac OS X são UNIX. O Linux e os diversos BSDs são Unix-like, cada um com suas próprias características, e vão indo bem sem obter as certificações mencionadas.

Saiba mais (unix.org).

Anúncios

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: